Esta é minha primeira publicação de uma série na qual pretendo esclarecer um pouco mais sobre relojoaria. Optei por começar falando sobre os materiais e revestimentos que são usados habitualmente na fabricação dos relógios de luxo. Neste texto falarei sobre os relógios de aço.

A indústria relojoeira em geral utiliza um tipo de aço na fabricação dos relógios classificado como 316L, no entanto, há uma grande quantidade de relógios produzidos com um aço classificado como 904L, principalmente utilizado pela Rolex em seus relógios, e um terceiro tipo, pouco visto na indústria relojoeira porém de alta qualidade chamado “Ice-Hardened Steel” produzido e patenteado pela empresa alemã Damasko.

O 316L é um aço com uma quantidade padrão de molibdênio que confere a ele uma alta resistência à corrosão localizada, que no meio relojoeiro é conhecida como “pitting”, e caracteriza-se por pequenas crateras na superfície do metal e a corrosão do tipo fenda, geralmente associada a meios com presença de cloretos e resistente também à corrosão associada ao suor. O aço 316L é considerado um aço cirúrgico, não produz reações alérgicas, é muito resistente a impactos e a arranhões, tem baixo custo de produção e é muito indicado para navegadores, mergulhadores de água doce ou esportes que estejam sujeitos a respingos de água marinha, pois na verdade este tipo de aço não foi projetado para o mergulho em água salgada. Mas não significa que você não poderá usar seu relógio para mergulhar, estamos falando do mergulhador profissional que realiza mergulhos diários, além do mais, se após o mergulho você tiver o cuidado de lavar seu relógio com água doce corrente, provavelmente ele nunca chegará a ser afetado pela corrosão da água do mar. A denominação 316L em relação à denominação 316, significa que possui baixa quantidade de carbono “low carbon Steel”.

Já o aço classificado 904L, trata-se de um aço com baixas quantidades de carbono e alta presença de ligas não magnéticas, no caso, cobre, níquel e cromo.  A adição do cobre a este aço propicia a resistência a um grande número de ácidos, principalmente o ácido sulfúrico, além de ter mais resistência aos tipos de corrosões já citadas para o aço 316L e para a corrosão por tensão. Este aço é totalmente antimagnético. Com alta presença de níquel e cromo, este aço comporta-se melhor ao endurecimento por tratamento de calor, o que faz dele um ótimo material para ferramentas, como punções, moldes e cunhos, como, por exemplo, os cunhos utilizados na casa da moeda para cunhar moedas de aço inox. Por não ser um aço tão popular na indústria em geral, o aço 904L tem um custo mais elevado, também não é um aço antialérgico, embora os casos sejam raros, o alto índice de níquel nesta liga pode propiciar reações alérgicas e é esta a razão para não ser utilizado como aço cirúrgico. Hoje a única marca que utiliza em larga escala este aço em seus relógios, é a Rolex. Em 1985 a marca iniciou a fabricação de relógios com este aço, no entanto somente veio a utilizar em todos seus modelos no início dos anos 2000, quando passou a produzir as caixas em aço 904L e os braceletes em aço 314L, marcando a transição do aço 316L para estas ligas. A partir de 2006 a marca passou a utilizar o aço 904L tanto no bracelete como nas caixas de seus relógios.

Damasko é uma empresa sediada em Regensburg na Alemanha e é especializada na produção de componentes para indústria aeronáutica. Em 1994, Konrad Damasco começou a produzir relógios. Seu principal objetivo foi produzir relógios simples, com perfeita engenharia e robustos. Ao invés de usar o habitual aço 316L na fabricação de seus relógios, a empresa desenvolveu seu próprio aço, sem níquel, tão resistente à corrosão quanto o aço 904L, e cinco vezes mais duro que o aço geralmente utilizado na indústria relojoeira, mais duro até mesmo que o titânio. O nitrogênio e o carbono são os responsáveis pela dureza nas ligas de aço, porém a liga desenvolvida pela Damasko atinge sua dureza máxima utilizando apenas 0,35% de carbono, enquanto as demais necessitam cerca de 1% de carbono para atingir sua dureza máxima. A empresa conseguiu esse efeito adicionando 0,35% de nitrogênio sob alta pressão, com isso consegue temperar o aço em uma temperatura muito mais baixa que as outras ligas de aço, por isso o nome desta liga é “ice-hardened steel” ou em uma tradução literal, aço endurecido a frio. Este aço de alta qualidade e patenteado pela marca tem um custo de produção baixo em relação aos demais tipos de aço do mercado e por não possuir níquel, é antialérgico. Atualmente apenas os relógios da marca são produzidos com esse metal, além de alguns componentes de aviões, helicópteros e naves espaciais e alguns instrumentos cirúrgicos. Durante um breve período, a empresa produziu as caixas para outras duas marcas de relógios alemãs, a Sinn até o ano de 2000 e a Bremont até 2002.

Relógio Corrosão

Relógio com corrosão localizada característica a exposição a ácidos e água salgada

Os três tipos de aço descritos em meu texto são de alta qualidade, e cada um possui suas particularidades e limitações, quer de durabilidade, uso ou de disponibilidade no mercado. Você não precisa esquentar sua cabeça com o tipo de aço utilizado em seu relógio, pois raramente os relógios são usados em condições extremas que realmente ponham a teste a qualidade de seus materiais, e você não deve se preocupar em ter um Rolex por ele ser mais resistente a corrosão do que outros relógios produzidos com o aço 316L, a não ser que você tenha planos de nadar em ácido sulfúrico, mesmo assim, as juntas de vedação e outros componentes não resistiriam.

Enquanto isso a pouco conhecida fábrica de relógios alemã desenvolveu um material barato, muito resistente e que compensa devidamente o ponto frágil de ambos os tipos de aço. É uma inovação digna da alta relojoaria, fruto da obsessão por perfeição que tanto se vê presente na história dos fabricantes de relógios.  Um detalhe curioso é que um relógio da marca custa cerca de U$1.350,00.