Relógios com caixa em cerâmica surgiram no mercado na década de 80. Embora Channel e Rado geralmente sejam laureadas como sendo o primeiro fabricante de um relógio com caixa de cerâmica, na verdade foi a IWC que, em 1986 produziu o primeiro relógio com a caixa neste material. O IWC Da Vinci calendário perpétuo foi produzido com a caixa de um composto cerâmico de Óxido Zircônio. Na época as ferramentas e técnicas utilizadas para trabalhar a cerâmica eram muito escassas e por esta razão a IWC produziu poucas unidades deste relógio. Para se ter uma ideia, para cortar o bezel de cerâmica do Omega Planet Ocean é utilizado um laser de 8000 watts de potência e as ligas cerâmicas geralmente são sintetizadas em temperaturas entre 1500 e 2000 graus celsius.

Iwc Da Vinci Cerâmica 1986IWC DA VINCI 1986, O PRIMEIRO RELÓGIO DE CERÂMICA

Cerâmica é qualquer material sólido inorgânico e não metálico, onde englobam-se os polímeros, que seja submetido a altas temperaturas, como por exemplo o vidro. O próprio vidro de safira dos relógios e aqueles revestimentos de cor preta ou cinza que vemos nos mesmos são um tipo de cerâmica. Existem centenas de tipos de ligas cerâmicas utilizadas nos mais diversos fins industriais, no entanto, vamos nos ater a cerâmica na indústria relojoeira.

A cerâmica possui uma dureza alta, que a faz ser resistente a arranhões, não tem reação alérgica, é anti-magnética, resistente a corrosão, altíssimas temperaturas (a cerâmica do Dark Side of The Moon da Omega nasce na cor branca e a coloração preta vem com um tratamento a 20.000 graus celsius), também, é muito leve, seu  peso varia de 2 a 6 gramas por centímetro cúbico, sendo que a maior parte das cerâmicas utilizadas na relojoaria pesam 3 gramas por centímetro cúbico, enquanto o titânio pesa 4,5 gramas por centímetro cúbico e o aço 8 gramas por centímetro cúbico. Além disso, a cerâmica é muito resistente a compreensão, é 4 vezes mais resistente do que o titânio, no entanto, sua resistência a tração é 15 vezes menor, ou seja, rompe ou parte com muito mais facilidade que os metais, aliás, os metais geralmente possuem pouca diferença de sua resistência a tração e a compreensão.  Este é o ponto fraco da cerâmica, sua baixa resistência a impactos.

A cerâmica foi uma grande solução para o bezel dos relógios, geralmente a escala apresentada no aro de relógios quando não estampada no metal é feita em um disco de alumínio pintado, esse disco arranha com muita facilidade e se faz necessária sua substituição com frequência, daí o grande benefício do bezel de cerâmica, ela é cerca de 15 vezes mais resistente a arranhões do que o aço, com isso, praticamente fica eliminada a possibilidade de arranhar o bezel. O bezel é a parte mais exposta do relógio, muito suscetível a impactos, o que pode ser trágico para o aro de cerâmica, por isso uma moldura de metal vem a ser um ótimo aliado o tornando praticamente indestrutível.

Hoje na indústria relojoeira existem diversos tipos de cerâmica, porém o composto mais utilizado é o Óxido de Zircônio. Há dois tipos de cerâmica que vem sendo ensaiados pela indústria relojoeira por terem maior resistência à tração: Zircônio endurecido com Alumínio e Zircônio estabilizado com Óxido de Ítrio. Recentemente a Hublot desenvolveu uma cerâmica chamada “Magic Gold”, esse composto é reconhecido como ouro 18k, ou seja, possui 75% de ouro em sua composição, entretanto é duas vezes e meia mais dura que o ouro 18k utilizado em relógios e joias, isso por que a fabrica suíça usou como liga o Carbeto de Boro, e ligar estes 2 elementos só foi possível pela sintetização em alta temperatura, característico a cerâmica. Resumidamente, o pó de Carbeto de Boro é convertido em uma peça sólida em alta temperatura e pressão, ficando uma estrutura porosa, após o ouro sob alta temperatura e pressão (nesse momento em estado gasoso), é injetado preenchendo estes poros, um processo complexo e altamente elaborado.

Para fim de construção de caixa de relógios a cerâmica não é um material indispensável, pois justamente a resistência a impactos é um dos atributos mais importantes para uma caixa robusta e que deve durar por gerações, porém, resguardado de impactos um relógio com caixa de cerâmica vai durar uma eternidade.  No entanto, é uma ótima solução para algumas partes do relógio como vimos no caso do bezel. Como a cerâmica apresenta baixo desgaste e constantemente é utilizada na indústria para fazer ferramentas que cortam ou desgastam metais, é um ótimo material para rolamentos, como os já utilizados pela Jaeger-LeCoultre e Audemars Piguet, e para engrenagens, como por exemplo o revestimento cerâmico do trem de rodas dos relógios Richard Mille.